15/09/2017

[Resenha] Corpo – Audrey Carlan

Oiii Pessoas lindas no meu coração!

Como está a vida pós-bienal? Muitas leituras lindas? Bom, tenho que admitir (com Bienal ou não…) que já tem um tempo que só tem parado livro lindo na minha vida. Nem estou feliz com isso né?!

Dito isso, já tem tempo que comprei a série Trinity da linda Audrey Carlan, em inglês. Amo o estilo de escrita dela e ela é uma fofa sem tamanho que vive fazendo live no Facebook e dá a maior atenção aos leitores dela. Como não amar?

Bom, comprei a série, mas não li. 🤦‍♀️ Vocês sabem como a #blogueiraDoidinha aqui é enrolada com as leituras né? Mas quando a editora Verus decidiu lançar Corpo por aqui, a curiosidade bateu. Só aí que percebi a bobeira que dei em não ter lido essa lindeza assim que comprei. O livro não durou nem um dia na minha mão…. vem que eu conto o porquê.

Sigam-me aqueles que amam a Audrey Carlan! (os que não amam venham se apaixonar por ela também!)

Besos!

Descrição
Uma nova vida. Um novo amor. Um perigo real.

“Eu te amo. Eu te quero. Eu nunca vou te deixar.” Gillian Callahan entra em pânico só de ouvir esse tipo de frase. Por anos ela viveu uma relação abusiva com seu ex-namorado violento. Agora ela está livre e segura, trabalhando para uma fundação de apoio a mulheres vítimas de violência – a mesma que a resgatou e salvou sua vida. Gillian não quer saber de homem nenhum. Até conhecer Chase Davis, o presidente da fundação. O bilionário é tão sexy e sedutor que Gillian fica sem chão. Chase sempre consegue o que quer – e ele quer Gillian.
Agora ela terá de enfrentar a batalha entre o desejo e o medo. Gillian vai conseguir confiar em Chase? Ela está segura com ele? E quão perigoso pode ser um passado sombrio… não só o dela, mas o do homem que ela aprendeu a amar?

Meus amores, vocês já compraram um livro que leram tão rápido que chegaram a se arrepender? Não de ter comprado, nem da história do livro, mas de terem ficado tão obcecados pela história que parece que não aproveitaram a leitura?

Foi isso que aconteceu comigo aqui. Fiquei tão envolvida pela história que “viajei no tempo”, simplesmente não senti as horas passarem e quando cheguei ao final peguei o segundo livro com sede de conhecimento. #souDessas

Mas falando do livro em si, aqui temos muitos elementos que eu amo. Começando por uma mocinha forte, decidida e independente que não é chata ou cheia de #mimimi. Odeio mocinhas “mimizentas“… 😒 Mas para a nossa sorte, Gillian é tudo de bom. Como é ela quem narra a história, nada mais justo do que ela ser agradável e fofa.

Pra completar a lindeza da nossa heroína, ela tem três amigas (ou como ela as chama “irmãs de alma”) maravilhosas que tornam a história uma delicia ainda maior. Amo quando temos amizades verdadeiras envolvidas e aqui isso é o que não falta.

Deus, Gillian, eu faria qualquer coisa por você. Dizer eu te amo não parece o suficiente para quantificar o que eu sinto por você.

Bom, Gillian é uma sobrevivente de um relacionamento abusivo e violento. Ela conseguiu sair dessa triste realidade graças ao suporte de uma fundação que ajuda mulheres na situação dela, mas não sem traumas ou medo de relacionamento. Gillian sente que deve a vida a fundação e hoje, anos depois do acontecido, ela trabalha muito para arrecadar fundos para a empresa, e ela é muito boa no que faz.

É assim que a conhecemos, em uma viagem para arrecadar fundos junto com seu chefe. Gillian está relaxando no bar do hotel quando conhece o Superman. Pelo menos essa é a melhor descrição dele que ela dá. Um homem maravilhoso que irradia poder e dinheiro e ele está interessado nela.

Uma garota pode se acostumar a ser levada pelo Superman. Talvez Lois Lane se coloque em todos aquelas situações perigosas de propósito para então ser salva pelo homem de aço.

Esse Superman é Chase. Ela não sabe ainda, mas ele não só é dono do hotel em que ela está hospedada, mas também é chefe da diretoria da fundação que ela tanto ama. Após alguns encontros em que Gillian tenta fugir desse homem tão intenso ela acaba descobrindo quem ele é. Então tudo fica muito mais interessante e intenso.

Li em inglês, mas baixei a amostra pra tirar foto pra vocês, minhas lindas.

Amores, acho que é desnecessário dizer que Chase é um daqueles personagens pelo qual a gente se apaixona e coloca na lista (interminável) de namorados literários mais-que-perfeitos. Já quero um Chase pra mim! #blogueiraPiriguetchi Pessoas, Chase me lembra Gideon Cross (da série Crossfire, um dos amores da minha vida) e só isso já é motivo mais do que suficiente pra eu morrer de amores por ele.

Percebi que essa coisa entre nós não iria embora.

Foi por isso que assim que comecei a ler Corpo, já estava perdida! Amei tanto que não consegui largar até terminar. E olha que esse não é particularmente um livro fino…. A obsessão foi tanta que andei com o iPad pela casa inteira. Não largava por nada, tanto que meus amigos queriam saber o que aconteceu comigo, pois nem no whatsapp eu apareci. 😅

“Quando estou em um relacionamento, fico muito ocupado fodendo o que é meu para precisar malhar.”

A leitura instiga e envolve o leitor. As cenas hot são maravilhosas (temos muitas…) e o nível de intimidade entre os personagens é real demais. Tudo acontece muito rápido e de forma muito intensa e não temos tempo de pensar ou respirar, vamos lendo e sendo dominados pela leitura. Ou seja, tem tudo que nós leitores precisamos para amar o livro.

Perceberam o nível de vicio da blogueira? Por isso que emendei o segundo livro no primeiro e estou amando tanto quanto amei o primeiro. Corpo é o livro 1 da série Trinity, da autora linda Audrey Carlan, e foi lançado por aqui pela editora Verus.

Corpo

Trinity, livro 1

Audrey Carlan

Editora Verus

Classificação: ★★★★☆ (4/5)

Amores, venham se viciar nessa história linda comigo, tem Corpo em promoção aqui:

 

Livraria da Travessa  Livraria Cultura Livraria da Folha

Agora, vamos deixar uma mensagem pra blogueira aqui em baixo? Contem pra mim se amaram Corpo também.

Bjos 1000!

Jaque

Jaque

Carioca, casada e apaixonada por livros. Lê de tudo, mas prefere romances.Totalmente Disney Freak, ama tudo que a Disney produz. O apertamento onde mora quase não comporta o tamanho do amor pelos livros (agora compra mais e-books), até porque, metade de mim ama ler e a outra metade está ali com um livro na mão.

"...as lost as Alice as mad as the Hatter"
Jaque

6 Comentários

  1. Francislene Feltre says:

    Oi Jaque, tudo bem?? Já coloquei este também na minha lista. Adorei sua resenha e, se este livro for tão bom quanto a série A Garota do Calendário já sei que vou amar… Só me fale o seguinte, quantos são os livros desta série. Vi na Saraiva que já tem pré venda do 2 – Mente. Quantos mais serão? Grande beijo

    • Jaque
      Jaque says:

      Oiii Fran, minha linda!
      Tudo bem, espero que com você também.
      Olha, prefiro essa série a Garota do Calendário, acredito que você também vai amar.
      Até agora foram lançados 5 livros, de acordo com a página oficial da Audrey, mas não sei dizer se a série vai parar em 5 livros. Aqui os títulos divulgados são Corpo, Mente, Alma e lá fora ainda tem mais dois, Life (Vida) e Fate (Destinho).
      Obrigada pelo carinho, minha linda.
      Bjos 1000!

  2. Raquel says:

    Jaqueee vou começar a ler hoje Corpo . Já estou ansiosa 😆😆😆😆 Ahhh e você está linda grávida ❤❤❤❤

    • Jaque
      Jaque says:

      Raquel, compra sim, lindinha! Estou apaixonada pela história e quero viciar todo mundo. rsrsrs Volta e me conta o que você achou, por favor!
      Ah, muito obrigada! Agora falta pouco pra minha Bela chegar.
      Obrigada pelo carinho.
      Bjos 1000!

  3. Ludmilla Bravo says:

    Jaque, se você ler um livro e não achar legal, enrodo fraco, mal escrito ou qualquer coisa assim, o que você faz? Simplesmente não fala nada sobre ele, ou tenta escrever uma resenha legal mesmo assim, ou escreve falando a verdade?

    • Jaque
      Jaque says:

      Oiii Ludimilla!
      Ótima pergunta essa sua! Bem, ainda não li um livro que eu tenha detestado desde que criei o blog. Os que eu não achei legal, mas cheguei a resenhar, falei de forma tranquila e dei 3 estrelas.
      Sabe por que? Não acho justo arrasar um livro só porque ele não atendeu minhas expectativas pessoais, pois as vezes eu amo um livro que muita gente detesta. Então gosto é bem pessoal, né? Também penso que o autor passou meses trabalhando na obra e não sou ninguém pra arrasar o trabalho dos outros assim. Mas também não vou mentir e dizer que amei, até porque nem consigo…

      Quer um exemplo? Clica AQUI que tem resenha sobre um livro que eu gostei pouco, ele meio que não funcionou muito comigo, mas que todo mundo amou. Se bobear você pode ter amado ele.

      Amei dividir isso com você, ninguém tinha me perguntado isso ainda aqui no blog.
      Obrigada.
      Bjos 1000!

Deixe um Comentário