01/09/2017

[Resenha] Pegando Fogo – Abbi Glines

Oiii Pessoas lindas do meu coração!

Todos sabíamos que esse dia chegaria, não é? 😩 Hoje vamos falar sobre o ultimo livro de uma das maiores e mais amadas séries que já passaram aqui pelo nosso cantinho. É sempre uma sensação doce e triste falar sobre o ultimo livro de uma série tão querida pra mim.

Acho que todos os fãs de Rosemary Beach (que é uma praia real que fica mesmo na Florida e que, se fosse no Brasil, seria chamada de Praia Alecrim) esperavam ansiosamente pelo tão falado livro da vilã da história. Principalmente porque a linda Abbi Glines garantiu que transformaria todos os #NanHaters em #NanLovers.

Humpf! 😒 Eu só pensava assim “Essa eu quero ver…”. Então, vamos saber se ela conseguiu mesmo me fazer mudar de ideia?

Então, peguem seus óculos de sol e o protetor solar, pois vamos pegar um sol nas lindas areias de Rosemary Beach! 🏖

Pegando fogo Abbi Glines

Nan é a cara da riqueza, vocês não acham?

Descrição
Nan Dillon, a bad girl de Rosemary Beach, é uma garota imatura e egoísta que não tem outra preocupação na vida a não ser manter o corpinho perfeito. Só que Nan está longe de ser feliz: nunca teve o amor dos pais, o irmão adorado não tem mais tempo para ela, e Grant, o único homem de quem gostou de verdade, resolveu trocá-la pela meia-irmã dela.

Então, quando Major Colt a convida para sair, ela não pensa duas vezes. Apesar de saber que esse texano charmoso e de fala mansa não quer nada sério, ficar com ele é melhor do que estar com as colegas fúteis ou passar as noites sozinha vendo televisão.

Mas logo Nan fica farta do comportamento descompromissado de Major e, depois que ele a deixa plantada em casa mais uma vez, decide ir a Las Vegas para um fim de semana sem regras e sem limites. Lá, conhece Gannon, um empresário sedutor e perigoso que sempre diz exatamente o que ela quer ouvir.

Quando Major vai atrás dela implorar por uma segunda chance e Gannon mostra que não é tão perfeito quanto ela pensava, Nan tem que decidir a quem entregar seu coração. O que ela não percebe é que os dois têm uma estratégia de longo prazo para ela – e já estão várias jogadas à sua frente.

Amores, quando falei lá em cima que a serie Rosemary Beach é enoooorme, estava falando sério. Pra quem não sabe, são 14 livros ao todo. Se você conhece a série, mas leu fora de ordem, ou não conhece tem um post aqui no blog bem legal mostrando todos o livros e a ordem de leitura. Clica AQUI pra conferir. E AQUI tem resenha sobre vários livos da série.

Mas se você já leu todos os livros anteriores e estava só morrendo mesmo curiosidade para saber qual é a da Nan, vamos seguir em frente. Ah, olha, até dá pra ler Pegando Fogo fora da ordem, mas é muito mais legal se você ler os anteriores.

Encontramos nossa vilã levando uma vida bem solitária. Bem diferente da vida cheia de compromissos que eu esperava que Nan tivesse. Ela está em Rosemary Beach, tendo um caso com Major. Só mesmo a Nan gastaria tanto tempo dando trela a ele. Claro, Major é lindo e um fofo, mas não serve como namorado. Ele adora mulheres, todas as mulheres, e para uma mulher carente como Nan, isso não é bom.

Pegando fogo Abbi Glines

Na verdade, Nan sabe que Major não é exclusivo dela, sabe que ele está com ela e com todas as outras, mas sua carência é tão grande que ela se apega aos bons momentos dos dois e sempre aceita sair com ele. O triste é que ela tem plena consciência disso.

Isso é até um pouco melancólico, pois vemos uma mulher linda, jovem e rica como Nan, que tem o mundo aos seus pés, mendigando amor onde quer que encontre. Isso acontece nos livros anteriores, inclusive parece que foi isso que aconteceu entre ela e Grant, mas não ficou muito bem explicado.

Então ele começou a andar. Na minha direção. Eu era o seu alvo. Fiquei ali parada, sem conseguir pensar, como se tivesse sido chamada, e minha respiração ficou irregular. Quase como se eu não pudesse respirar.

Grant realmente se importava com Nan e aqui ficamos sabendo que ela gostava muito dele, então fiquei sem entender o que aconteceu entre eles. 🤷‍♀️ Lá no livro do Grant, eu achei que Nan só quisesse mesmo brincar com ele, mas aqui entendemos que ela realmente se envolve emocionalmente com os caras com quem sai, o que é bem triste. Eu achava que Nan era daquelas que brincava com todos e saia rindo, mas não é bem assim.

A gentileza de Major estava me conquistando, embora eu soubesse que não passava de mais uma garota para ele.

Então, Nan está sendo a segunda opção de Major até uma viagem para Las Vegas, onde ela conhece Gannon. Ele é totalmente diferente dos homens com quem Nan está acostumada a se envolver. Isso chama a atenção dela de cara, ainda mais porque Gannon tem uma personalidade dominadora que Nan descobre que adora. O mais legal é que Gannon já é nosso conhecido de livros anteriores, sua reputação o precede… (não vou dar spoiler, mas tinha que contar isso!)

Todos os homens são mentirosos. Até os bonitinhos e de bom coração.

Ela então começa a se deixar envolver por Gannon, por mais misterioso que ele seja, mas Major não desiste dela. Infelizmente os motivos dos dois não são totalmente sinceros e Nan acaba se vendo em um triangulo amoroso que só pode dar em coração partido (ou algo pior… muito pior…).

Pegando fogo Abbi Glines

Bom, agora vem a pergunta de 1 milhão de dólares: “Passei para o time #NanLovers?” Infelizmente não, estou mais para o time dos que tem pena dela. Quando parei pra me por no lugar da Nan, só consegui sentir pena mesmo. Ela é infeliz, muito infeliz. Então, mesmo tendo sido ótimo conhecer-la melhor, dizer que amo Nan seria exagero. Diferentemente de outros personagens que usam as tristezas para serem mais fortes e tentam ver a felicidade nas pequenas coisas, Nan não consegue ultrapassar a solidão e a carência que a consomem.

Eu queria ser a Harlow de alguém. Ou a Blair.

Mas eu sempre seria a Nan. E ela não bastava. Nunca havia bastado, e definitivamente não ia mais tentar bastar.

Isso, claro, até ela tomar uma decisão que me fez admira-la muito. Realmente achei que essa decisão sim a faria uma mulher melhor e mais feliz. Pois ela não estaria mais sozinha.

Eu disse que não sou #NanLover, mas também não sou mais #NanHater (ponto para a Abbi Glines!). Longe disso! A história aqui não dá margem para o leitor ter raiva dela. Até porque, já tem uns livros em que ela está menos malvada e aqui ela nem tem ninguém pra maltratar… muito.

Eu tinha me apaixonado por aquele homem louco, brilhante e sexy. Não era a minha intenção. Eu nunca havia me permitido amar alguém de verdade, mas agora isso mudara.

Gostei da dinâmica da história, as cenas hot são mais sutis do que a dos primeiros livros, mas são de bom gosto e servem mesmo pra que a gente entenda a química entre os personagens. Confesso que queria ter visto a Nan mega-vilã em ação, mas não posso dizer que fechei o livro infeliz, pelo contrário.

Me afastar dela foi como arrancar uma parte do meu próprio corpo, mas era necessário. Não havia lugar para uma mulher na minha vida. Sobretudo uma mulher como Nan. Alguém que precisava ser amado de verdade.

Aqui encontramos nossos amados personagens dos outros livros e participamos mais um pouco de suas vidas e eu amo isso. É como visitar amigos queridos que não vemos há muito tempo, então meu coração se encheu de felicidade. Essa foi uma das coisas mais fofas da historia. Posso dizer que Pegando Fogo foi uma leitura linda com um gostinho de saudade, mas que deixa a gente com uma sensação boa e um sorriso no rosto ao fecharmos o livro.

Pegando fogo Abbi Glines

Pegando Fogo é o livro 13 da série Rosemary Beach, da linda autora Abbi Glines. Aqui nos despedimos das paradisíacas areias da Flórida, mas os personagens ficarão pra sempre em nossos corações.

Pegando Fogo

Rosemary Beach, livro 12

Abbi Glines

Editora Arqueiro

Classificação: ★★★★☆ (4/5)

Quer ir a Rosemary Beach também? Tem Pegando Fogo em promoção aqui:

Livraria da Travessa  Livraria Cultura Livraria da Folha

 

Agora é a vez de vocês me contarem, aqui nos comentários, se já são #NanLovers!

Bjos 1000!

Jaque

Jaque

Carioca, casada e apaixonada por livros. Lê de tudo, mas prefere romances.Totalmente Disney Freak, ama tudo que a Disney produz. O apertamento onde mora quase não comporta o tamanho do amor pelos livros (agora compra mais e-books), até porque, metade de mim ama ler e a outra metade está ali com um livro na mão.

"...as lost as Alice as mad as the Hatter"
Jaque

Deixe um Comentário